De bicicleta, com o prefeito de Portland

Na última sexta-feira (3 de Junho) participei de uma volta de bicicleta pelo centro de São Paulo com o prefeito de Portland (Oregon – EUA) Sam Adams, que estava no Brasil para a C40. O passeio aconteceu a convite da Ciclocidade, a Associação de Ciclistas Urbanos de São Paulo. Estiveram presentes também o secretário do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo Eduardo Jorge, o diretor geral da Ciclocidade Thiago Benicchio, além de outros ciclistas, que circularam desde a frente da Prefeitura de São Paulo, passando pelo Largo São Francisco, pela Sé, pelo Pátio do Colégio, pela Rua Boa Vista, Praça da República, o Theatro Mvnicipal e retornando à Prefeitura.

Ciclistas e o prefeito de Portland Sam Adams. Foto: João Lacerda / Transporte Ativo

Portland, que tem tem 600 mil habitantes e 2 milhões na região metropolitana, é considerada a cidade americana mais adequada para os ciclistas. A cidade conta com uma infra-estrutura que engloba ciclovias e faixas especiais, além das tradicionais vias compartilhadas, travessias de pontes com passarelas específicas para bicicletas, e incentivos para a construção de bicicletários e para o uso da bicicleta em si como alternativa de locomoção em um plano do Departamento de Transportes que vai até 2030.

Eduardo Jorge, Sam Adams e Thiago Benicchio.

Ao passear pelo centro, Adams (que pedala diariamente) fez elogios à simpatia do povo brasileiro e destacou que em São Paulo há um grande potencial para o uso da bicicleta. Ele vê na grande quantidade de pessoas se locomovendo a pé uma demanda reprimida que poderia usar este modal, sendo necessário implantar faixas compartilhadas e melhorar a organização e a distribuição do espaço urbano.

Desfavor à causa

O passeio com Sam Adams foi acompanhado pelo o repórter Ricardo Ferraz, da TV Cultura. Ele fez uma ótima reportagem, mostrando a visão do prefeito em relação ao uso das bicicletas no ambiente urbano como meio de locomoção. No final da reportagem, o cientista político Carlos Novaes, comentarista do telejornal, desfez todo o esforço de pacificar o trânsito e melhorar a locomoção em São Paulo. Em sua fala, ele afirma não acreditar no uso da bicicleta como modal de transporte devido “às grandes distâncias” da cidade e dá opiniões erradas em relação à poluição que o ciclista inala, além de outras críticas infundadas.

Assista ao vídeo

Volta de bicicleta com Sam Adams em São Paulo from Associação Ciclocidade on Vimeo.

A resposta

Os comentários fizeram com que a Ciclocidade se manifestasse, mostrando em carta à TV Cultura que a bicicleta já é uma realidade como meio de transporte em São Paulo. Na carta a Associação destacou que, segundo a pesquisa Origem Destino do Metrô (2007), pelo menos 155 mil cidadãos utilizam a bicicleta para ir e voltar do trabalho todos os dias na cidade de São Paulo. Número muito superior, por exemplo, às 80 mil viagens realizadas de táxi na capital. Esta pesquisa diz ainda que 45% dos usuários de bicicleta estão entre 30 e 50 anos, contrariando o comentarista que afirmou que pedalar é apenas para jovens.

A resposta também mostrou que a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), órgão ligado à Secretaria Municipal de Transportes, possui um Departamento de Planejamento Cicloviário, além de hospedar o Grupo de Trabalho Pró-Ciclista (que envolve diversos órgãos municipais com o objetivo de fomentar o uso da bicicleta na cidade). Portanto, o próprio município, em sintonia com muitas cidades ao redor do planeta, afirma textualmente em seu organograma que a bicicleta, além de instrumento de lazer, é sim um meio de transporte.

Quanto à poluição um estudo realizado pela Faculdade de Medicina da USP durante a série RespirAr (exibida pelo telejornal SPTV da TV Globo) mostra que quem está de bicicleta respira 17% menos poluentes do que quem está dentro de um carro. A utilização da bicicleta também contribui sensivelmente para minimizar os custos sociais de  problemas cardíacos, obesidade e tantas outras doenças contemporâneas que afetam a sociedade em escala endêmica, aumentando a longevidade de seus utilizadores.

Para levar

Longe da bicicleta ser a solução para os problemas de mobilidade urbana. Isto passa por soluções só encontradas em políticas públicas muito mais abrangentes que simplesmente incentivar o uso da bicicleta. A intermodalidade, o aumento da malha e a disposição de transportes públicos, o planejamento urbano, entre outros tantos elementos são fundamentais, mas um pouco nós estamos fazendo. Só de estarmos lá, já somos vários carros a menos.

@renejrfernandes

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s